15 de Outubro, dia do Professor

Professor: é vocação ou emprego???

Como sabem, eu trabalho durante o dia no RH de uma secretaria de estado. À noite sou tutora de cursos online sobre Educação Fiscal.

Meu trabalho é incentivar o acesso ao curso, foruns e chats, dando a nota correspondente ao desempenho do aluno e tambem dar suporte de informatica.

O meu contato com os alunos é exclusivamente via e-mail.

Durante muitos anos eu separei a blogueira da tutora, mas achei que estava assassinando o meu carater, já que aqui eu me mostrava leve e engraçada e no curso eu ostentava uma seriedade exagerada.

Eu consegui misturar bem as duas figuras e hoje procuro elaborar textos interessantes, engraçados e que envolvam o aluno e ao mesmo tempo, que tirem dele o receio da figura cinza que todo tutor parece ter.

Deu muito certo! Os alunos veem hoje em mim um facilitador, uma ajuda e não uma pessoa que irá apenas cobrar acessos.

Esta postura me rendeu amizades incriveis que perduram já a anos, pois quando um curso acaba o meu relacionamento com os alunos continua.

Hoje então, 15 de outubro, Dia do Professor, eu quero dividir um texto que elaborei para a turma passada e que fez muito sucesso.

Olá turma!

Em turmas passadas eu tinha quase que a totalidade da classe composta de

professores.

E esta classe não é diferente.

Pensando no dia do professor, eu imaginei que a maioria faz isso por vocação.

A vocação é o que diferencia dois tipos de profissionais: o “professor- emprego” e o “educador”.

Mas e quando a vocação não existe? Tem como desperta-la? 

E me lembrei de um filme antigo, de 96, O ESPELHO TEM DUAS FACES, que tem como atores principais Barbra Streisend e Jeff Bridges.

espelho-tem-2-faces

Nesta estória, eles são professores universitarios, desiludidos no amor.

Rose (Barbra) é professora de literatura e Gregory (Jeff) é professor de cálculo. 

Gregory adora o que faz, mas nas suas aulas não consegue envolver os alunos .

Durante as aulas ele fica de costas, falando sozinho e rabiscando nas lousas suas

formulas, alheio ao que se passa na sala.

E os alunos voando,  não veem a hora do sinal bater para saírem correndo! 

(assistam o vídeo: colem este link no youtube)

 http://www.youtube.com/watch?v=wKuyKc62lQg

 

Já as aulas de Rose são movimentadas.

Ela é movida pela paixão, sabe de cor o nome dos alunos, e como envolve-los na pauta do dia.

Suas aulas atraem alunos de todos os cursos, interessados na dinâmica e no carisma dela. 

Vejam a aula de Rose:

http://www.youtube.com/watch?v=F9cSSgmclr0

 

Notaram a diferença????

Esta é  a diferença entre colocar sabor na aula, levar para a sala de aula o que

gosta e envolver pessoas! 

Rose decide mostrar a Greg que ele também pode captar a atenção da classe, usando recursos simples como olhar para os alunos, tomar uma atitude mais amável ou incluir exemplos do dia a dia nas aulas.

Ela assiste a uma aula dele, entendiada.

Depois a compara com uma festa em que só ele participa. E começa a dar dicas de como se aproximar da classe. 

Assistam: http://www.youtube.com/watch?v=PONvN4QUmYM

 Greg decide seguir os conselhos de Rose, e percebe que existe um tema fácil de inserir em qualquer aula, um tema transversal que por coincidência é a paixão dos americanos: futebol. 

Na cena abaixo já vemos outra aula de Greg, que seria igual a qualquer outra,  até que ele ouve um bocejo de um aluno desinteressado. 

Ele se vira  e pergunta: “alguem aqui viu o jogo de ontem???”

Em seguida, tira os óculos e o casaco.

Se inclina pra frente numa atitude assertiva, e começa a explicar a aula tendo como exemplo, o jogo de futebol.

(sorry pipol, eu não achei este trecho legendado, quem achar me envie por favor) 

 

http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=8PnRmRnMEU8

 

Viram o que aconteceu aí??

Greg com poucos gestos conseguiu envolver os alunos e mudar a própria imagem diante deles. 

É visivel a transformaçao dele, como ele se transformou de pessoa comum em outra, atraente, simpatica.

E tudo isso apenas ostentando uma atitude mais acessível. E ele se importou com a participação dos alunos,  os convocou para viver aquele momento e tornou aquela aula inesquecivel.

*** 

É claro que este filme não é sobre educação.

É um romance sobre relacionamentos, mas o que me veio na cabeça quando o assisti recentemente, é  como podemos levar QUALQUER ensinamento para a sala de aula, para a vida. 

Então o que tem pra hj é isso:

Fazer o que gosta é um clichê…nem sempre conseguimos isso. 

Maas GOSTAR DO QUER SE FAZ, isso conseguimos, e o resultado é sempre bom. 

Um feliz dia do professor para todos…pois se nem todos aqui são professores, somos sempre educadores.

Abraços

Lilian

Tutora

Uma vez, um amigo me disse :

Quando digo que sou educador, o falo pelo seguinte: ser professor é apenas uma função técnica, ser educador vai alem…a vida moderna exige da escola muito mais: ela tem de levar o aluno a pensar, a contextualizar, a analisar comparativamente, a quebrar preconceitos, a buscar soluções gradativas para problemas que afetam a sua comunidade. A escola tem também a nobre função de formar cidadãos… e para isto é necessário transformar o pessoal docente de instrutores em educadores.  A escola e o educador em particular têm uma responsabilidade extraordinária na formação do adolescente, no aperfeiçoamento da pessoa como ser integral. Esse aperfeiçoamento deve embasar-se numa filosofia de vida indispensável à formação do ser humano. É o homem em  condições de zelar pela sua dignidade individual perante a coletividade; é o ser ajustado à família, à comunidade de vivência, ao trabalho, às instituições, ao respeito aos demais indivíduos; é a pessoa cultivada para servir ao próximo, sem preconceitos de quaisquer naturezas, visando o aprimoramento individual, coletivo, universal.  Fico triste quando vejo somente os “professores” que habitam alguns colegas. Eles são habitantes de um mundo diferente, onde o “educador” pouco importa…(sic)

Com este post eu quero homenagear aqueles professores cuja alma é habitada pelo educador.

Anúncios

Sobre coisadelilly

mulher, mãe e esposa, workaholic; uma inconformada com a situação mundial; uma pessoa que ama cães, caminhar, ir a liquidações, comer jujubas; viciada em seriados americanos; prendada mas sem tempo de colocar em pratica suas habilidades; desprovida de inveja e más intenções; uma pessoa que adora joaninhas, pink, flores, romantismo, craft, musica; um pé no presente, um no passado, a cabeça no futuro; uma pessoa nada facil; que tenta se livrar do saco de ossos de vidas passadas, que vive o agora; que esqueceu o que não devia e lembra o que não quer; uma pessoa na versão enciclopédica 2.0 que não pode ser resumida.
Esse post foi publicado em coisas que passam na minha cabeça. Bookmark o link permanente.

6 respostas para 15 de Outubro, dia do Professor

  1. Marluce disse:

    Lindo o texto que você mandou pros seus alunos, os melhores professores são assim. Com isso acabamos nunca esquecendo a matéria e não só decorando, e com certeza levamos a lembrança desse professor pro resto da vida 🙂
    Beijos e feliz dia do professor pra você!

  2. Oi Lilian, minha querida. Adorei o texto e as dicas dos filmes. Ser professor não é fácil, mas é muito gratificante quando se encontra um sentido tanto na vida pessoal como profissional. O professor responsável e no desenvolvimento de sua prática deve reunir diferentes saberes para atender seus alunos em tempo, pois todos sabemos que a escola hoje não é mais o único espaço de aprendizagem. E só a vocação do professor não resolve o problema do ensino sistemático – antes de mais nada é preciso dedicação, compromisso, pesquisa e ação. Mesmo diante de condições precárias de trabalho e formação. Veja o caso retratado da professora de História que o Fantástico, em uma de suas poucas pinceladas livres do sangue e podridão que tudo é naquele programa, mostrou no domingo. Quem não viu, veja http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2013/10/projeto-de-professora-de-escola-publica-conta-com-parceria-de-maria-bethania.html
    Bjs. Lilian. Adorei ler o texto.
    Augusto

  3. Glaucia de Oliveira disse:

    Eu amei, me senti super estimulada a ver o filme e ser mais acessível aos meus alunos!

  4. Ana Paula disse:

    Lindo texto…infelizmente a classe hoje está muito desvalorizada. Me lembro de alguns professores que tinham paixão pelo que faziam mas me lembro tb daqueles que pareciam frustrados o tempo inteiro. Importante mesmo é achar o equilíbrio quando não se está satisfeito.A indicação do filme foi ótima e exemplifica bem que às vezes é necessário mudar. Feliz dia dos professores prá vc!!!!

  5. Lilly, queria muito me enquadrar na posição de educadora dos meus alunos, mas sei que educadora sou do meu filho, dos meus alunos sou professora! Quem está na linha de frente do magistério, reconhece essa diferença de cara.
    Glamour no magistério da educação básica, minha querida Lilly, só há nos filmes de Hollywood. Na vida real, se você não se impõe (com muito respeito e ternura) eles te engolem. Lógico que falo de minha realidade: salas de aulas lotadas, com um n˚ significativos de alunos que são analfabetos funcionais (por conta da aprovação automática) e que não sabem o peso da educação, não só para ter empregos melhores, mas para formar cidadãos.
    Apesar de saber que pouca coisa funciona, é o que me dá prazer. Não me vejo num escritório, mexendo com papeis. Gosto é de gente e sou feliz trabalhando com eles. Afinal, amar o bonito é fácil. Difícil é sentir falta do feio e do que te dá trabalho, como estou sentindo agora. Depois de 2 meses parada devido à greve.
    Desculpe pelo testamento com 0% de glamour, mas magistério é profissão e não abnegação.
    Um beijo grande no seu coração.
    Ah! Obrigada pelo carinho que tem comigo.

  6. Maria Araújo disse:

    Parabéns pelo seu post.
    Lecionei durante 23 anos, gostei muito do meu papel de professora e acima de tudo educadora.
    Não é fácil, nos dias de hoje, ser professor(a).
    A sociedade mudou muito (ainda bem), mas perderam-se, também, muitos valores.
    Hoje vive-se a globalização, a internet, a TV, há mais agressividade, menos tolerância, quer por parte dos educadores (pais e professores) quer por parte dos educandos.
    Gostaria que os governos dessem mais importância ao nosso trabalho, pois o crescimento e o sucesso dos nossos educandos/alunos, saem de nós.
    Não me lembro de, em criança, haver uma falta de valores e respeito pela nossa profissão como actualmente (óbvio que há bons e maus professores, como há bons e maus educadores).~
    Desejo sucesso para o seu trabalho.

    Beijinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s