6º livro de 2012 – Uma Certa Justiça, de P.D. James

Uma Certa Justiça – Companhia das Letras, 508 paginas

P.D. James, escritora inglesa nascida Phyllis Dorothy James. Com este nome tão lulu ela deve ter aderido às iniciais para parecer mais séria.

Phyllis Dorothy não parece escritora de livros agua-com-açucar?

P.D. James trabalhou no Departamento de Policia e no Serviço de Segurança Britanico, o que deve ter ajudado muito  a compor as tramas de seus livros ( genero ficção policial).

O que me despertou a curiosidade foi a idade da escritora, 92, aliás 77 anos na época da publicação.

Fiquei imaginando como escreveria aquela doce velhinha da foto, se ela seria uma outra Agatha, se teria personagens tão pitorescos quanto Mrs Marple ou Poirot.

Acostumada aos livros de grishan, tambem tenho o péssimo costume de comparar com os dele, qualquer livro que eu leia e que tenha como pano de fundo o sistema judiciario. É um erro eu sei, mas quem resiste à tentação de rotular?

ok, então Uma Certa Justiça é sobre o assassinato de uma excelente mas arrogante advogada, Vanetia Aldridge.

Eu estava ainda nas páginas iniciais do livro e já tinha anotado ( tenho o costume de ir anotando os personagens conforme eles vão aparecendo) umas 7 pessoas com motivos suficientes pra  matar a advogada. Ela é fria, mentirosa, calculista, uma FDP e até eu já estava com raiva dela, quando virei uma página e lá esta ela, mortinha da silva!

Mas isso não é spoiler, pois desde o inicio do livro já sabiamos que ela iria morrer.

A trama do livro, muito bem escrita, é ATEMPORAL.

Notei que em nenhum momento é citado algum dado que possibilite saber em que época se passa a estória, apesar de ter sido publicado em 97.

Phyllis consegue descrever muito bem cada situação e com exceção da tecnologia existente nos dias de hoje pode se jogar a situação do livro tanto lá no meio do seculo XX, como nos dias de agora.

É uma qualidade rara numa narrativa.

Resumo da ópera: muito bom e apenas no final, assim como nos livros da dona Agatha, consegui vislumbrar a possibilidade de encontrar o assassino.

Agora, quanto ao livro, objeto físico, que tambem mereceu uma analise: a pessoa que o leu antes fez o “favor”de anotar na margem do livro as palavras que ela achava “dificeis”.

Tambem grifou trechos que a ela pareceu importantes (reli-os e vi que nao continham nenhuma informação que levasse ao desfecho da trama) e em algumas partes ela fazia uma chave e deixava o comentario : LEGAL.

HUMMMMMMMM, legal no sentido da lei, ou no sentido “puxa que bacana”?

we never know.

Lá pelas 300 e tantas páginas se dizia que a pessoa ( nao vou contar quem né?) que matou  Venetia , talvez não tivesse a intençao de matar, mas matou. Ao lado o comentario “nao ter intençao de matar funciona como atenuante da pena”

hummmmm de novo!

Fiquei morrendo de curiosidade de saber pra quem eram estas explicações tão bem mastigadinhas, se é um costume de ler com um lápis na mão, se é mania de parecer erudito aos olhos do proximo desavisado leitor, ou se esta pessoa é mesmo no fundo mais um chato rabiscador de livros!

anyway, Uma Certa Justiça é um livro excelente.

 e já que tinham começado a “explicar” o livro, deixei ali no meio a lista com os personagens principais.

 Não coloquei a indicação de “assassino” na frente do personagem tá? aí é ser muito sem graça né?

( e este foi o post de numero 1289)

Anúncios

Sobre coisadelilly

mulher, mãe e esposa, workaholic; uma inconformada com a situação mundial; uma pessoa que ama cães, caminhar, ir a liquidações, comer jujubas; viciada em seriados americanos; prendada mas sem tempo de colocar em pratica suas habilidades; desprovida de inveja e más intenções; uma pessoa que adora joaninhas, pink, flores, romantismo, craft, musica; um pé no presente, um no passado, a cabeça no futuro; uma pessoa nada facil; que tenta se livrar do saco de ossos de vidas passadas, que vive o agora; que esqueceu o que não devia e lembra o que não quer; uma pessoa na versão enciclopédica 2.0 que não pode ser resumida.
Esse post foi publicado em livros. Bookmark o link permanente.

4 respostas para 6º livro de 2012 – Uma Certa Justiça, de P.D. James

  1. adoro a pd james. já li quase todos os livros dela. realmente não parecem escritos por aquela senhorinha cuja foto ilustra a contracapa, né?

  2. eita! ficou complicado comentar agora, heim?

    bj

  3. pathell disse:

    Já li uns livros da PD James e gostei. Nada se compara a Agatha Christie, nem a Simenon ou outros gigantes do romance policial, mas ela é ótima. Por falar em policial, acabei de ler “O Enforcado”. Dê-se seu endereço para eu enviar, vc vai gostar. pathell@gmail.com.

  4. Manu disse:

    Lilly, fiquei com vontade de ler!!! Dei um google pra saber qual era a cara da autora, e não fosse pela sobrancelha arqueada, iria achar que era uma inocente senhorinha fofa!
    Olha, tô passando aqui pra te convidar pra participar do sorteio lá no blog, hein? Bjo!
    http://mendigochic.com/2012/05/09/sorteio-um-brinco-lindo-da-francisca-joias-contemporaneas/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s