i ♥ bicicleta

eu tinha uma caloi Ceci dourada.

na verdade fui influenciada pelo comercial da caloi Peri e Caloi Ceci estrelado pela Bruna Lombardi e o Ricelli, em que eles pedalavam juntos no maior idílio…cabelos ao vento, flores e livros nas cestinhas, pic nics na relva florida…

me imaginei alí tambem, cabelos ao vento, livros e flores na cestinha…eu precisava ter a minha!!!

e comprei! mas nunca carreguei flores alí, mas livros sim, muitos.

flores em cestinha é imagem de comercial mesmo.

decidi que começaria ir para o trabalho de bike,  e o que atrapalhava um pouco era eu morar em Ribeirão Prêto na época.

e voces conhecem Ribeirão né?

só subidas e descidas: de subidinha a subidona com direito a descidinhas e descidonas, e ruas que tinham até degraus de tão íngremes.

algumas tinham calçamento em pa-ra-le-le-pí-pe-do ainda…

mas fui, e ficou até facil pois adquiri resistencia fisica.

eu trabalhava na Policlinica Ribeirão Preto, e deixava minha bike trancadinha lá no estacionamento.

volta e meia algum medico vinha e perguntava: de quem é aquela bici douradinha lá?

e eu: minha

daqui a pouco ele voltava: mas ta trancada.

e eu dava  chave.

só tinha uma outra menina que tinha ceci ali, a Cristina, o resto eram bicicletinhas dos mirins, sem atrativo nenhum.

depois comecei a passear nos finais de semana com ela tambem, eu e minha amiga Nádia.

nos trabalhavamos a semana toda e so nos viamos nos sabados a tarde.

era um momento bem “just girls”: a gente tomava sol, clareava os pelos dos braços, dava banho de creme no cabelo, faziamos as unhas e depois de um banho iamos secar o cabelon de bike.

tinhamos os cabelos longos e pretos ate na cintura!

íamos longe de casa, pois o jardim independencia, bairro novo que moravamos não tinha os atrativos que queriamos.

passeavamos nas imediações da avenida 9 de julho, com suas calçadas antigas, suas mansoes e arvores magnificas.

Conheça pouco Shopping aberto Ribeirão

o final da avenida era uma pirambeira com um cruzamento lá embaixo que atravessavamos sem olhar!

já tinhamos 18 anos, mas quem disse que tinhamos juizo?

pedalavamos umas 3 horas e depois nos despedíamos, pois era sábado! dia de sair com o namorado.

hoje tem as bikes dos meninos que nem estão aqui. estão a anos na casa da minha mãe e eu sempre penso: se a bike estivesse aqui eu ia dar uma voltinha.

eu sinto falta disso.

aliás sinto falta de tanta coisa…mas mais daquele tempo.

as pessoas costumam dizer que era o tempo em que eramos felizes e não sabiamos.

de certa forma eramos e não. como agora. sou mais feliz pois tenho meus filhos que tanto queria?

sim, mas naquela época eu tinha pais jovens e saudaveis, minha mae tinha 35 anos e era uma moça bonita ainda.

hoje eu sou feliz e sei que sou e sei porque. há alguns arranhões nesta felicidade, mas quem não os tem…

saudade de andar de bike, de fazer as unhas com as amigas, de não ter outra “preo” na vida alem de estudar e trabalhar e  futuro ainda estava muito distante pra se importar.

Anúncios

Sobre coisadelilly

mulher, mãe e esposa, workaholic; uma inconformada com a situação mundial; uma pessoa que ama cães, caminhar, ir a liquidações, comer jujubas; viciada em seriados americanos; prendada mas sem tempo de colocar em pratica suas habilidades; desprovida de inveja e más intenções; uma pessoa que adora joaninhas, pink, flores, romantismo, craft, musica; um pé no presente, um no passado, a cabeça no futuro; uma pessoa nada facil; que tenta se livrar do saco de ossos de vidas passadas, que vive o agora; que esqueceu o que não devia e lembra o que não quer; uma pessoa na versão enciclopédica 2.0 que não pode ser resumida.
Esse post foi publicado em coisas que passam na minha cabeça. Bookmark o link permanente.

15 respostas para i ♥ bicicleta

  1. Taninha Heredia disse:

    Ai saudade!!!!!!!!! Mas agora com tantos carros está até perigoso andar de bike. Mas que viviamos em cima delas é verdade pura. Qualquer lugar que iamos era sempre de magrela
    !!!!!!!!

  2. Vanessa disse:

    nostálgica hoje? li e já falei pro Dri recuperar minha bike que está lá na casa da tia dele, vai trazer pra eu andar no condominio… a minha ceci era branca, sempre amei branco! e carreguei muitos livros nela também…
    beijosss

  3. Maria Araujo disse:

    Lindo post.
    Nostalgia de tempos idos que eram bem passados. Eram imortais.
    Agora, as brincadeiras, os prazeres saõ outros.
    Mas ainda háquem ande de bike.
    Tenho um irmão, 46 anos, que além de fazer as alterações às bikes como ele gosta, pondo as velhas como novas, pedala.
    E a esposa acompanha-o.
    Por aqui, há quem vá a Santiago de Compostela, na Galiza, de bike.
    Por aqui há quem aproveite esta pequena grande cidade para andar de bike.
    Só não ando porque não sei, ahahahaha!
    Vá buscar a sua bike a casa da mãe, arranje-a e pedale.
    Quem me dera fazê-lo.
    Beijinho

  4. CECILIA MEDEIROS disse:

    Por tudo, tudo que vc escreveu temos que aproveitar cada minuto do momento presente como se não houvesse amanhã. Qd se é jovem se pensa no futuro no iremos fazer, só que o fazer é AGORA com ou sem preocupações.

  5. formaplural disse:

    Eu tive uma Ceci azulzinha e fiquei super frustrada, porque queria mesmo uma BMX! Fui uma criança / adolescente terrível…Cada fase traz suas peculiaridades, mas é muito importante não deixar que a essência se perca. Vc fez me lembrar de Jorge Luis Borges ( Instantes). Beijo, Helka

  6. sissi2011 disse:

    Lilian, querida amiga, um abraço de Luz e Paz.
    Tudo o que a gente viveu faz partes do que somos hoje.
    Adorei ler tuas lembranças doces.
    Te devo um mail e desculpas do coração.
    Vou te contar que foi um mês muito dificil aqui.
    Tudo de bom.

  7. Semíramis disse:

    Eu tinha uma Monark Ipanema vermelha e era praticamente um apêndice do meu corpo,hahaha.Só saía dela para comer e tomar banho.Em dias de chuva,juntava toda a galera da rua e a gente saía pela cidade.Vivi minha primeira paixão adolescente sobre rodas-um garoto da minha rua que viva me emprestando a bike dele antes de eu ganhar a minha.Foi nele o primeiro beijo, desajeitado que só.
    Também tenho saudades,mas o que não tenho mais é fôlego!

  8. RoPertile disse:

    Oi Lilly!
    a minha é branca com letras e flores em lilás
    tema cestinha onde eu trago as compras do supermercado, hortifruti, bolsa da natação…
    enfim! é meu xodó
    bjs

  9. Amarilda J.T. da Silva disse:

    Lilly, grandes lembranças de momentos eternos.Andar de bike e fazer tudo ao lado da amiga.
    Tudo de bom, por isso tenho que concordar com alguns comentários sobre a questão do tempo: temos que vivê-los intensamente. Aproveitar cada minuto. e tentar ser feliz sempre.
    Bjs

  10. Oi Lilly! Eu ainda tenho bike, mas não ando tanto quanto gostaria.. é tudo tão corrido durante a semana, são tantos afazeres que qnd vemos a noite já chegou e o cansaço tomou conta.. mas ela ainda está lá e sempre tenho planos com ela.. só falta por em prática!! kkk. bjinho! Amei seu post!

  11. Fabiola disse:

    Lindo post mesmo.
    Não tive bicicleta, andava na garupa dos irmãos, então não aprendi, até porque era muito medrosa, me arrependo disso.
    E o Ricelli, uau, que gatão, nossa!
    Bj,

  12. cris disse:

    Oi Lilly!!! Que saudades mesmo daqueles tempos……..
    Brinquei muita na rua, era uma moleca, hj meus filhos nem poe os pés na calçada , ou melhor mal poe os pés no quintal da casa. Oh geração tão diferente da nossa.. Bjus.

  13. ivone veronica martin christofoletti disse:

    OI LILLY !!!! eu t.b. andei muito de bicicleta … e ainda tenho uma ….. quase não ando , porque levo o meu neto nos compromissos dele , e não me sobra muito tempo disponivel , mas aqui na minha cidade (RIO CLARO ) tem muita bicicleta …o meu neto mais velho tem (16 anos ) vai pra escola e trabalhar t.b. de baik , ele trabalha de menor aprendiz no BANCO DO BRASIL ,e anda a cidade toda !!! bjos pra voce , e boa semana .

  14. Oi Lilian.
    Bicicleta é tudo de bom! Rio Claro, minha cidade natal, é famosa por suas dezenas de milhares de bicicletas. Cidade plana, traçado tipo tabuleiro de xadrez, boa pra andar de bike. Já aqui em Sampa tudo fica mais difícil. Havia trazido uma das minhas bikes de Rio Claro. Queria ir para o trabalho com ela. Mas desisti. Perigoso demais. Até escrevi um post sobre isso a semana passada.
    Bjs.

  15. Sra. N disse:

    Se aqui em Sampa não fosse tão perigoso e tão cheio de sobe e desce eu tb trabalharia pedalando, adoro.

    E tb sinto falta de muitas coisas que fazia antes de casar… momento meninas tinha muito e sinto falta.

    Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s