musicas de ontem

eu tenho várias lembranças de quando eu era criança pequena em Barbacena, ops, Ribeirão Preto.

uma delas é que minha infancia foi muito musical. na minha casa tocava-se musica o dia todo.

um dos bicos do meu pai era a divulgação de discos. sim, aqueles pretos com o buraco no meio.

ele recebia uma caixa com discos das gravadoras, ouvia e fazia uma resenha no jornal local. os de rock era eu quem ouvia e dava a minha opinião;  e foi assim que eu tive os meus primeiros discos do Alice Cooper, Kiss, Black Sabbath…

na época a gente só aceitava bem o que era estrangeiro. valorizar o artista brasileiro? só se ele fosse um Vinicius, um Chico…

ou o cantor usava um nome americanizado pra fazer sucesso (como o Fabio Jr que cantava com o nome de Mark Davis), ou lançava-se a versão em portugues dos sucessos publicados na  Billboard ( uma revista que fazia uma listagem das musicas mais vendidas lá fora).

entre os anos de 70-75, um grupo musical que nunca se apresentou ao publico fez muito sucesso: Os Super Quentes.

O S.Q. era na época o que o Gorillaz foi para o Blur: um projeto, uma banda virtual  ou fantasma, pois o fato do Super Quentes não se apresentar, só lançar discos é que ele era um projeto, uma banda paralela formada por cantores famosos na época, como os Fevers e os Golden Boys.

os Super Quentes estouraram com versões de musicas americanas, inglesas e espanholas.

esta semana eu estava procurando uma musica pra mostrar ao meu filho e achei quase todas as musicas dos S.Q.

apesar de algumas letras serem bem obvias tipo “Não vá , não vá baby…( versão de Be my baby) o ritmo dos anos 70 e as vozes  afinadissimas ( agora sabemos de quem…) davam conta de colar na cabeça como o ai se eu te pego ou tchetcherere..

e eu sei pois comecei a ouvir e notei que eu me lembrava de todas!

(só que agora eu canto esta musica trocando o Lola por Loba, e ela adora…)

Anúncios

Sobre coisadelilly

mulher, mãe e esposa, workaholic; uma inconformada com a situação mundial; uma pessoa que ama cães, caminhar, ir a liquidações, comer jujubas; viciada em seriados americanos; prendada mas sem tempo de colocar em pratica suas habilidades; desprovida de inveja e más intenções; uma pessoa que adora joaninhas, pink, flores, romantismo, craft, musica; um pé no presente, um no passado, a cabeça no futuro; uma pessoa nada facil; que tenta se livrar do saco de ossos de vidas passadas, que vive o agora; que esqueceu o que não devia e lembra o que não quer; uma pessoa na versão enciclopédica 2.0 que não pode ser resumida.
Esse post foi publicado em musicas. Bookmark o link permanente.

7 respostas para musicas de ontem

  1. Rosi disse:

    Muito bom! Adorei seu post!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    BJ!

  2. patricia disse:

    Eu falei com uma moça nos seus 20 anos que diz que adora música de discos de vinil. A louca. Eu odeio. Gosto de Ipod. Começamos a discutir.
    Mas ainda preservo meus discos de vinil, pois tenho pena de jogar música no lixo.
    Bjs.

  3. Fabiola disse:

    Oi, Lilly!

    O The Fevers ainda se apresenta, estão com show agendado para a Lona Cultural aqui perto de casa.
    Música antiga é tudo de bom, tb guardo vinilzão e ainda escuto.
    Beijo,

  4. Ei Lilly, esse seu outo blog eu não conhecia. É muito bom também. Como você dá conta de dois? Descobri que não levo muito jeito para essas coisas, minha criatividade some quando vou escrever. Acho que é porque sou muito prefeccionista e fico pensando muito para escrever e edito mil vezes o que já escrevi. Esse processo tem que ser mais natural né? Mudando de assunto, que legal que você gosta de rock. Eu também gosto (de heavy metal mesmo) mas nem escrevi isso no blog porque achei que ninguém iria entender do que eu estava falando. No blog estou desenvolvendo mais meu lado “menininha”, mais romântico e floral :-), e heavy metal não é floral (risos). Beijinhos.

  5. Adriana disse:

    Poxa Lilly, temos mais uma coisa em comum. Meu pai não trabalhava com divulgação de discos, mas era locutor e gerente da emissora de rádio da minha cidade e tinha uma coleção incrível de discos (de vinil, é claro). Também cresci ouvindo e apreciando as músicas que ele gostava. E, como as músicas que ele gostava eram da geração dele, adoro Beatles, The Carpenters, The Mammas and the Pappas, Johnny Rivers, Chuck Berry e muitos muitos muitos outros.
    Eu AMAVA pegar aquelas embalagens enormes dos discos e ficar vendo fotos, letras de músicas.
    Minha mãe já gostava da Jovem Guarda com as músicas em versão brasileira das americanas, tipo essa não vá, não vá no ritmo de “be my baby” que vc colocou no post. Mas meu pai abominava hahaha.
    Ele também odiava Elvis Presley . Disse que pegou aversão de tanto que as moças ligavam durante os programas da emissora pedindo pra tocar kkkkk.
    Sabe que não tenho nem idéia de onde foram parar todos aqueles discos!! Saí de casa há 15 anos e nem sei que fim levaram. Vou perguntar porque agora fiquei curiosa!
    Ai que saudade.

  6. Pingback: Blog Retro 2012 | Isso é coisa de Lilly

  7. Adorei o post… nasci em 71 e gosto demais das músicas desta época, não conhecia OS Super Quentes… muito legal!!!! Cheguei pelo Blog Retrô!! Bjs, querida!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s