Herbert & Cecília – tinha que ser você

A Cecília de Natal-RN gostou da minha estórinha com o Armando, e me contou a dela.

Eu e a Cecília nos conhecemos através deste blog, quando ela comentou num post e perguntou se poderia me chamar de amiga, pois tinhamos tanto em comum.

E assim começou uma amizade bacanérrima, como muitas que faço aqui dentro.

Gente boa e honesta que compartilha comigo de afinidades, gostos e sentimentos.

Li a estorinha dela como costumo fazer com tudo o que leio: imaginando as pessoas e as cenas.

Não é estória da carochinha, é uma estória real e engraçada. tinha que ser o Herbert…e tinha que ser a Ceci pra juntos protagonizarem esta novelinha doce.

a estória abaixo foi copiada ipsi letteris (gastando meu latim) do texto que a Ceci me enviou; são palavras dela, e ela soube resumir em poucas linhas anos e anos em que eles andaram em circulos se esbarrando até se juntarem!

” minha estória de amor tem vários momentos mas vou tentar ser breve:

 Meu marido (Herbert) eu conheci quando criança, quase vizinhos. Quase, porque ele foi criado pela avó que morava em outro bairro distante do meu.

Como ele quando bebê nasceu doente e a mãe  morava no interior ele foi criado pela avó na capital. Com isto ele cresceu sendo criado pelos avôs e tias e quando a mãe mudou para a  capital ele visitava os irmãos todos os domingos.

Sempre vi aquele menino todo arrumado, cheiroso e educado brincando com os irmãos e eu fica só olhando lá de casa. Ele tinha uns 12 anos e eu 07 até aí nada demais. Aos 08 anos meu pai foi transferido para o Rio de Janeiro onde moramos por 11 anos. Voltamos a morar em Natal na mesma casa e amizade com ele e os irmãos retornou forte.

 Na época ele era noivo da outra vizinha que não gostava de mim, até então eu nunca o tinha olhado com olhos de paixão!

Um belo dia eu e Socorro (irmã dele) fomos conhecer a casa nova que ele tinha comprado. Ao cruzarmos o corredor da casa ficamos naquela “dança” em que um vai para o lado e o outro escolhe o mesmo lado.

 Ele pegou no meu braço me parou e nesta hora escutei uma voz masculina atrás de mim dizendo: “Ele vai ser seu marido e  vocês vão morar nesta casa” gelei, olhei p atrás e não tinha ninguém. Herbert notou que fiquei espantada e perguntou o que foi, eu disse que nada. Saí de lá pensando que estava ficando era doida,como podia se ele estava noivo, casa comprada, lista de quem seria convidado, lista das coisas que ainda precisavam ser compradas para a casa.

Mas , o destino havia nos colocado juntos. Passados alguns dias Socorro disse que ele havia terminado o noivado, que o namoro não estava bem há muito tempo, que havia muita coisa na noiva que ele não aprovava. Outra amiga nossa Gerusa disse:Vcs foram feitos um para o outro. Eu disse que era só amizade, que tínhamos papo porque eu fazia universidade e ele já trabalhava enquanto a noiva ainda estava terminando o ensino médio.

Resumindo, demoramos a nos declarar e eu para tirar a dúvida se gostava dele como amigo ou não, arranjei um namorado que morria de ciúmes quando eu tocava no nome Herbert,  ele por seu lado também arranjou uma namorada.

 Em março de 1987 Herbert sofreu um acidente e todos os dias ao sair da universidade passava no hospital para visitá-lo e quem estava lá?

 A ex-noiva e a atual namorada todas com ódio desta Amiga com quem ele ria e conversava muito .

 Para finalizar, em abril nos declaramos apaixonados e em outubro casamos.

São23 anos de casamento temos dois rapazes ma-ra-vi-lho-sos e moramos naquela casa onde ouvi aquela voz.

 Herbert é um homem como poucos, minhas amigas dizem que fizeram ele e jogaram a forma fora!”

É uma estória real, como a minha, pontilhada de coincidências e surpresas…

Cecilia diz ainda que Herbert é organizado, disciplinado e metódico, gosta de campo e de comidas salgadas (como o meu Mr Husband) enquanto ela é uma bagunceira-arrumadinha, gosta do agito da cidade e é louca por doces ( como eu!!), mas que convivem bem ( e põe bem nisso) com as diferenças.

Anúncios

Sobre coisadelilly

mulher, mãe e esposa, workaholic; uma inconformada com a situação mundial; uma pessoa que ama cães, caminhar, ir a liquidações, comer jujubas; viciada em seriados americanos; prendada mas sem tempo de colocar em pratica suas habilidades; desprovida de inveja e más intenções; uma pessoa que adora joaninhas, pink, flores, romantismo, craft, musica; um pé no presente, um no passado, a cabeça no futuro; uma pessoa nada facil; que tenta se livrar do saco de ossos de vidas passadas, que vive o agora; que esqueceu o que não devia e lembra o que não quer; uma pessoa na versão enciclopédica 2.0 que não pode ser resumida.
Esse post foi publicado em amigos. Bookmark o link permanente.

5 respostas para Herbert & Cecília – tinha que ser você

  1. Nossa, que história! Eles nasceram para ficar juntos mesmo!


    Camila Faria

  2. Maria disse:

    Incrível, a voz…!
    Acho que há um destino em nós.
    Beijinho

  3. poetriz disse:

    Adoro saber a história dos outros pra ver se encontro dicas pra encontrar alguém pra mim.
    Mas anda difícil. =(

  4. CECILIA MEDEIROS disse:

    O interessante de toda esta estória é que só agora ao ler o post ele ficou sabendo da tal voz! Lembrei que nunca tinha contado p ele!

  5. Pingback: de férias em casa, mas não com a cabeça fresca « Blog da Reforma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s