procurando o passado

Pessoas, só eu sei o tanto que sou refratária a algumas idéias…celular por exemplo; redes sociais por exemplo; ser dono de rancho, por exemplo.

O orkut: quando eu li na VEJA em 2004 que um tal “Orkut alguma coisa impronunciável” tinha criado uma rede de relacionamentos, eu pensei: pronto, era o que faltava. Acabou a privacidade.

Não me agradou a idéia de colocar coisas minhas alí e ter um mané vasculhando  minha privacidade.

As opiniões mudam mesmo! Hoje sou até blogueira né????

Voltando à minha busca pelo meu passado: eu até fiz um perfil  com a finalidade de achar amigos de Ribeirão Preto que ficaram para trás,  e tambem o pessoal do Otoniel Motta, colégio onde estudei láaaaaa nos anos 80.

Com o perfil criado,  vi que eu não lembrava o nome do pessoal que estudou comigo…

tinha aaaaa…, e oooo…aqueleeeee…e aquelaaaaa umaaaa…aquele bacaninhaaaa…tenho o 1º nome…ou o só o apelido…

Tenta entrar no orkut pra ver qtos milhoes de pessoas tem com o mesmo apelidinho.

Tinha a Dilma de que? e o Diomário que era do Mato Grosso, o que lá em Ribeirão significava era muito looonge, mas agora que estou aqui em Araçatuba é ali pertinho.

Ahhh eu tenho que falar deste cara: ele usava umas botas de couro de jacaré, sabem de onde?? daqui de Araçatuba (naquela época eu achava estes nomes estranhos…) o cara tinha bota de todas a cores e usava cinturão de fivelona.

Que mais? Ah um dia a gente chegou no ape dele (ele morava no centro, perto da Rosifini, do colegio Marista…acho que era fazendeiro, o cara) pra estudar e ele estava dormindo, colocamos um pedaço de goiabada dentro da bota dele, e saímos de fino. Ligamos da portaria e dissemos que estavamos lá esperando. Ele mandou aguardar. Ele levantou, enfiou o pé na bota e ….ouvimos os gritos lá de baixo…

No dia seguinte, corremos dele o tempo todo…Estragamos a bota gêlo nova, mas quem fez isso foi o Tcheppa, nós só ficamos olhando, e dando apoio moral.

Este era um tempo bom, o tempo do “eu era feliz e não sabia”; lembro da saída da escola, meio dia, o solão na cabeça e de repente um besta qualquer inventava de IR A PÉ PRA CASA, e os outros bestas concordavam!!

Pra enganar a fome, a gente comprava um tubo de Cebion e ía chupando beeeem devagar…meu estomago ficava que era só espuma! que horror…e era uma puta caminhada.

Isso era uma loucura, porque a distancia era grande, mas em bando a gente cria coragem.

achei que o orkut ou o facebook ajudariam a encontrar alguem…Eu encontrei só a Maria Paula…

Na verdade eu senti muito nunca mais ver algumas pessoas, pois aqui em Araçatuba eu não tinha uma referencia.

Todos aqui tinham um passado, menos eu.

Teve um dia que dormi no meio de uma conversa com umas amigas. Tudo bem, eu tinha bebido vinho, mas elas começaram com aquele papo do “pessoal do tempo do colegial”.

O tal “lembra da fulaninha? e do siclaninho? “, MAS ERA O PESSOAL DO COLEGIAL DELAS , DAQUI DE ARAÇATUBA, e é lógico que não conheço ninguem né cara pálida, pois naquela época  época eu morava em R.P. e outras fulaninhas e siclaninhos povoavam meu universo.

Entao eu até tentei entender quem era quem e relacionar com quem eu conheço hoje, mascom o tempo desisti.

Quando a conversa resvala para o passado ou eu recosto na cadeira e cochilo, ou faço uma cara de paisagem…quando acaba a conversa eu acordo; ou mudo de assunto, dependendo o caso.

Mas algumas pessoas do passado sumiram misteriosamente.

 Nao há orkut que as localize…será um recado do destino pra eu deixar o passado pra tras? e desde quando eu dou atenção pro destino?

Sobre Lilian

mulher, mãe e esposa, workaholic; uma inconformada com a situação mundial; uma pessoa que ama cães, caminhar, ir a liquidações, comer jujubas; viciada em seriados americanos; prendada mas sem tempo de colocar em pratica suas habilidades; desprovida de inveja e más intenções; uma pessoa que adora joaninhas, pink, flores, romantismo, craft, musica; um pé no presente, um no passado, a cabeça no futuro; uma pessoa nada facil; que tenta se livrar do saco de ossos de vidas passadas, que vive o agora; que esqueceu o que não devia e lembra o que não quer; uma pessoa na versão enciclopédica 2.0 que não pode ser resumida.
Esse post foi publicado em tá na net, tá no mundo. Bookmark o link permanente.

2 respostas para procurando o passado

  1. Lilly, quando entrei no orkut achei o pessoal da escola de 1970, fiz … eu fiz 3 reencontros … no 4 deu merda …. aluguei chácara, contratei churrasqueiro e somente 15 dos 130 confirmaram … frustação total, cancelamento da festa e nunca mais me meti da fazer nada … não é todo mundo que pensa como eu … fazer o que né ??

  2. Emília disse:

    Lilly, em um momento Que Saudade de VocêS. Mas é bom ter boas lembranças né amiga? Como sempre morei no Mesmo Lugar, meus amigos e amigas, moram nas proximidades de minha casa vira e mexe encontro um(a) e outro(a) e rola um papo, sobre os tempos de “aborrescente”. Só uma de minhas amigas, foi morar aí em Araçatuba, mas certamente ela não está mais por aí. Tinha também um amigo japonesinho, que era muito querido. Ah!!!! E um ator da novela Passione me faz lembrar uma paixonite dos meus 15 anos(é um dos filhos do Totó, o Agnelo). Sei lá se ainda mora nas proximidades, ainda não vi nenhuma “versão adulta” do Agnelo nas proximidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s