Sai Caminho das Índias, entra Viver a Vida

Até que, pra quem não assiste novelas eu falo bastante sobre elas  não é?

É que eu FALO muito pípol, e sobre tudo, então novela é só mais um assunto.

Acabou Caminho das Índias, onde se gastou uma fortuna em kajal e pedrarias e entra Viver a Vida, mais uma novela sobre o ridjanero, de Manoel Carlos.

Não dá pra falar mal dele. Escritor maravilhoso, está com mais de 70 anos e ainda é muito atual, e escreve suas novelas de 3 em 3 anos.

E elas tem uma marca registrada: uma serie de cliches e lugares comuns que longe de serem cansativos, dão aquela sensação de  oásis no meio da selva e noticiarios e novelas do SBT.

Pra começar que tudo sempre se passa no bairro do Leblon. As pessoas moram, estudam, fazem compras, trabalham,  sem sair de lá.

É que Manoel mora no Leblon e adora o bairro.

Maneco fala do dia a dia das pessoas, da rotina, de gente que tem profissão normal como medico ou manicure, esteticista, vendedora, gente que é mãe solteira, que é pai viuvo, etc…

As empregadas são muuuuito legais, super amiguinhas da patroa, do tipo que arruma o cabelo dela e diz: Ahhh voce está triste, porque não sai e compra uma roupinha?

Tanto a riqueza como a pobreza são light, nada ofensivo demais, porque em comparação com caminho das Índias que tinhas cores fortes, as novelas de Maneco parecem uma aquarela em tons pastéis e muita luz.

E ao som de bossa nova.

A cada novela, várias bandeiras são levantadas como a conscientização para doenças como a leucemia (Laços de familia, em que a Vera Fischer tinha uma filha com leucemia), alcoolismo ( em Mulheres Apaixonadas tinha uma professora, a Santana, que era alcoolatra), problemas psiquiatricos ( em Mulheres Apaixonadas  o marido da professora vivida por Helena Ranaldi era um psicopata, e Giulia Gam era deprimida) homossexualismo, preconceito racial, violencia doméstica.

O que torna tudo um pouquinho confuso é que todas as suas heroínas se chamam Helena.

Só Regina Duarte interpretou 3 Helenas, contra uma de Christiane Torloni, uma de Vera Fischer, uma de Lillian Lemertz e uma de maitê Proença.

E José Meyer e Tony Ramos tambem são pares constantes destas Helenas, parcerias quebradas de vez em quando por um Fagundes e um Giannechini.

Só pra relembrar algumas das tramas:

História de Amor(95) Helena ( Regina Duarte) é uma mãe sofredora que pena com a gravidez precoce da filha , problemas financeiros e emocionais.

Por amor (97) Helena (Regina Duarte) é mãe de Eduarda ( a chata da Gabriela Duarte). Helena vive um relacionamento ótimo com o Fagundes e engravida junto com a filha, tem os bebes no mesmo dia , mas o da filha morre e ela, temendo pela saúde da filha, troca os bebes. Isso faz com que o Fagundes se separe dela. Durante a novela a Eduarda vai se tornando cada vez mais peste o que despertou uma raiva nacional contra a personagem. Helena sofre, sofre, sofre, ams fica tudo bem no final amem.

Laços de Família (2000) Helena ( Vera Fischer) se envolve com um rapaz mais novo ( Gianni), mas a filha dela (Camila) tambem se apaixona pelo rapaz, depois tem leucemia, aí Helena deixa o rapaz de mão beijada pra moça, come o pão que o diabo amassou com debaixo do sovaco, tem um filho com o primo José Meyer ( detestavel nesta novela, mau, rabugento, cínico) e se acerta com o fofo Miguel ( Tony Ramos, que se não me engano é dono de uma livraria e tem um filho deficiente).

Mulheres Apaixonadas(2003) Helena (Christiane Torloni) troca o Marido Téo ( Tony) pelo Cesar ( José Meyer, again). Nesta novela tem de tudo, de lesbianismo  a mulher que apanha do marido, de mulheres que amam demais a alcoolismo.

Paginas da vida (2007) Helena ( Regina Duarte) é uma médica que  larga o galinha José Meyer ( ele de novo!!! parece o Dermot Mulroney, tá em todas!), adota uma criança com sindrome de down rejeitada pela avó (Lilia Cabral) depois que gemeos nascem da mãe que morre ( parece novela mexicana), e fica bem com o Marcos Paulo.

e em Viver a Vida, Helena é Taís Araújo. Negra e linda é uma modelo famosa e tem um caso com quem? José Meyer! Que é pai de uma modelo (Alinne Moraes)  rival de Helena e que vai sofrer um acidente e ficar tetraplegica. Desta vez acho qeu vai se falar muito sobre o direito dos deficientes fisicos, acessabilidade etc…

O que as Helenas do Maneco tem é que elas são reais, sofrem, mentem, enfiam o pé na jaca, trabalham muito, ajudam os outros, mas ficam bem no final porque mereceram.

Acho que esta eu assisto.

viver a vida

Publicidade

Sobre Lilian

mulher, mãe e esposa, workaholic; uma inconformada com a situação mundial; uma pessoa que ama cães, caminhar, ir a liquidações, comer jujubas; viciada em seriados americanos; prendada mas sem tempo de colocar em pratica suas habilidades; desprovida de inveja e más intenções; uma pessoa que adora joaninhas, pink, flores, romantismo, craft, musica; um pé no presente, um no passado, a cabeça no futuro; uma pessoa nada facil; que tenta se livrar do saco de ossos de vidas passadas, que vive o agora; que esqueceu o que não devia e lembra o que não quer; uma pessoa na versão enciclopédica 2.0 que não pode ser resumida.
Esse post foi publicado em eu tenho que comentar!, novelas e seriados. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Sai Caminho das Índias, entra Viver a Vida

  1. Ronaldy Borromel disse:

    essa novela foi uma das melhores da rede globo de televisao. uma novela de clareza , lida com a vida de maneira importante , apresentando fatos sociais e pessoais que lema o homem a repensar o verdadeiro sentido da vida. parabens para manoel carlos grandissimo altor e para toda equipe da rede globo pela belissima produçao. rede globo agente se ver por aqui , se ligando em voce!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s